• Qui. Abr 22nd, 2021

Voz no Deserto

Conhecendo a Palavra de Deus aplicada aos últimos tempos

O Cristão e o Fim dos Tempos

Byelmar_ricardo

Dez 16, 2020

Texto base: Mateus 24

Introdução:

Não há dúvidas de que estamos vivendo um momento diferente na história da humanidade. Mesmo se você for uma pessoa totalmente cética perceberá que o mundo se encontra em uma crise que vem sendo planejada já algum tempo e que teve o seu início mais precisamente no início de 2020 com a propagação do covid-19. Em nenhum momento da nossa história vivenciamos uma pandemia que contaminasse o mundo todo. Pelas facilidades dos tempos atuais onde as distâncias foram diminuídas com transportes como avião, doenças contagiosas e mortais também se propagam com mais facilidade e velocidade.

Diante desse cenário ficam alguns questionamentos. Como a igreja está entendendo esse momento? Será que estamos vivenciando o que Jesus chamou de “princípio das dores”? E se estamos nesse período porque não há uma orientação da igreja? Por que se prega pouco ou nada de apocalipse? Como os filhos de Deus estão enxergando (se é que estão) o momento em que Cristo falou abertamente que aconteceria?

Perante o que está escrito em Mateus 24 e fazendo uma rápida análise dos dias em que estamos vivendo não há dúvidas de que já estamos no “princípio das dores” que antecedem o período da tribulação e grande tribulação que vão marcar o reinado do anticristo.

Em Mateus 24 o Senhor Jesus deixa claro para seus discípulos os sinais e alguns acontecimentos que vão marcar a sua volta. Vale a pena reforçarmos alguns pontos dessa passagem para ficar claro para o leitor de que o tempo da volta de Cristo está mais próxima do que imaginamos.

1 – A existência de pessoas se passando por Cristo

(Mateus 24.4:5)

2 – Guerras e rumores de guerras

(Mateus 24.6)

3 – Nação contra nação

(Mateus 24.7)

4 – Fome, pestes e terremotos

(Mateus 24.7)

5 – Muitos serão escandalizados e haverá muitas traições

(Mateus 24.10)

6 – Surgirão falsos profetas

(Mateus 24.11)

7- Haverá abundância de iniquidade e esfriamento do amor

(Mateus 24.12)

8 – O evangelho do Reino será pregado outra vez em testemunho às nações

(Mateus 24.13,14)

9 – Estabelecimento da abominação da desolação (anticristo)

(Mateus 24.15; Daniel 9.27; Apocalipse 13.1-18)

10 – Fuga de Israel para o deserto

(Mateus 24.16-20)

11 – Dias de grande aflição

(Mateus 24.21,22)

12 – A situação será semelhante aos dias de Noé

(Mateus 24.37-39)

Esses são pontos essenciais que confirmam que o momento que estamos vivendo atualmente é decisivo não só pra igreja como para o mundo todo e diante desse cenário como tem sido nosso posicionamento para o mundo? Hoje mais do que nunca, as pessoas precisam ouvir a palavra de Deus e nós como igreja precisamos viver mais as escrituras.

Quando analisamos a nossa postura como filhos de Deus diante do cenário atual podemos perceber que erramos nos seguintes pontos.

1 – Deixamos o medo nos dominar

O medo é uma arma poderosa que se usada da maneira correta pode destruir um povo muitas das vezes sem nem precisar dar um único tiro. A estratégia do medo foi muito usada em batalhas no passado onde diante de um exército os soldados gritam e batem suas espadas e lanças contra seus escudos fazendo com que o inimigo pense que o exército é maior e mais perigoso do que realmente é. O medo é utilizado como arma de domínio e controle.

Estamos vivendo um momento delicado onde uma doença tem aterrorizado as pessoas fazendo com que todos fiquemos apreensivos e pensativos com relação ao nosso futuro. E por estar com medo nos tornamos alvos fáceis do inimigo de nossas almas.

O príncipe desse século é ousado em suas estratégias para destruir o povo de Deus, as pessoas que são envolvidas com as trevas são disciplinadas, focadas e trabalham arduamente para preparar esse mundo para a chegada do anticristo. E nós como igreja? A igreja foi chamada para ser sal e luz do mundo (Mateus 5:13-14), mas muitas das vezes está atemorizada e acuada perante tudo que tem acontecido.

“E vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras. Fiquem atentos e não se assustem, porque é necessário que isso aconteça, mas ainda não é o fim.” Mateus 24:6

Quando Cristo começa a explicar sobre as questões do fim para seus discípulos no versículo 6 de Mateus 24 ele deixa duas recomendações para a igreja. Devemos ficar atentos aos sinais do fim e não devemos ter medo.

Estar atento significa estar com sua percepção espiritual “ligada”. Tudo que está acontecendo no mundo é fruto de algo que já aconteceu ou está acontecendo no mundo espiritual. Precisamos entender que nosso papel como igreja é ser também relevante no mundo espiritual e ter relevância espiritual significa batalharmos usando as armas certas e pelas causas certas fazendo da nossa principal arma, a oração, o nosso principal recurso nessa batalha. Precisamos orar por questões menos pessoais e mais do Reino.

A segunda recomendação para igreja é não se assustar ou ter medo diante de tudo que está acontecendo e ainda vai acontecer. Todas essas coisas são necessárias que aconteça para que as profecias se cumpram. Há um propósito de Deus em tudo que está acontecendo e se nós simplesmente nos entregarmos ao medo seremos um instrumento de desordem e caos nas mãos do nosso inimigo.

“Não fui eu que ordenei a você? Seja forte e corajoso! Não se apavore nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar”. Josué 1:9

2 – Negligenciamos a palavra de Deus como um todo

É interessante observarmos um certo estado de letargia da igreja com relação ao tema “final dos tempos”. Parece que nem todos estão na mesma expectativa com relação ao retorno de Cristo. Percebe-se isso claramente observando o quanto se conhece do livro Apocalipse no meio cristão. Não é raro encontrar irmãos que tem anos de vida eclesiástica, congregam em uma igreja local, professam sua fé, mas não tem nenhuma base bíblica quando o assunto é a volta de Cristo e o sistema satânico que nos cerca. É como se isso fosse um tabu.

A verdade é que muitos cristãos negligenciam o livro de apocalipse como se ele não fizesse parte da palavra de Deus. E por criarmos objeções com o livro deixamos de aprender mais de Deus e perdemos a oportunidade de nos preparar para a chegada do noivo. Ele vem buscar a sua igreja, será que vamos nos encontrar como as virgens insensatas? Sem azeite para as lâmpadas? (Mateus 25.1-13)

A palavra de Deus é completa e precisa ser estudada como tal. Não podemos simplesmente ler ou estudar somente aquilo que é “bonitinho” e afaga nossos desejos carnais (acumular tesouros na terra por exemplo).  Esse tipo de atitude gera cristãos que vivem um evangelho de ilusões e o pior, não nos confronta a sermos melhores, a evoluirmos como servos de Cristo. Que possamos estudar e meditar na palavra de Deus em sua plenitude.

“Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir?” João 6:60

3 – Não estudamos sobre o sistema que rege o mundo

Talvez um dos maiores erros que o povo de Deus cometa em termos de conhecimento seja a completa ignorância em relação aos sinais do fim dos tempos. E quando falamos em conhecimento estamos nos referindo a informações mais abrangentes que vão ampliar sua visão como geopolítica, história dos povos, sociedades secretas, estudo sobre a Maçonaria, cavaleiros templários etc. O estudo aprofundado da palavra de Deus vai te “forçar” a estudar como consequência outros temas. Por exemplo, história dos povos, para um completo e correto aprendizado da palavra de Deus muitas das vezes se faz necessário conhecer como era a sociedade na época, sua cultura, suas crenças, seus valores, entre outros.

A igreja deveria ser uma verdadeira “universidade da Bíblia” abarcando conhecimentos que façam com que os irmãos amadureçam na fé. Vale lembrar que essa responsabilidade não está somente sobre seu líder ou pastor, mas VOCÊ é o principal responsável pela sua educação bíblica.  Talvez você esteja se perguntando… Pra que preciso conhecer tantas outras coisas além do que está escrito na Bíblia? Posso te responder citando alguns fatos.

1 – Ampliar seus conhecimentos sobre outros temas vai abrir a sua mente para compreender de forma mais profunda as escrituras sagradas.

2 – Vai te permitir ter conhecimento suficiente para argumentar/instruir/ensinar quem quer que te questione a razão da sua fé.

3 – Vai te ajudar a interligar fatos da história e da atualidade com as profecias Bíblicas de Daniel e Apocalipse.

4 – Uma vez entendendo como o mundo é regido você poderá combater as trevas da forma correta, orando e atuando em causas verdadeiramente legítimas alinhadas a palavra de Deus.

5 – Você não será alvo fácil do inimigo pois terá discernimento com relação ao que está acontecendo no mundo e terá plena consciência das armas que o príncipe desse mundo usa contra a igreja.

Citei 5, mas poderia dar mais exemplos de como ampliar seus estudos pode te ajudar a servir melhor no Reino de Deus. Ignorar os fatos do final dos tempos não te ajudará a estar pronto para o que está por vir.

O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.”  Oséias 4:6

4 – Não nos preparamos para a batalha adequadamente

A consequência imediata fruto da falta de conhecimento é estarmos expostos e vulneráveis as ciladas do inimigo. Quando estudamos as inúmeras batalhas travadas pelo povo de Deus no passado, percebemos alguns elementos que eventualmente podem estar faltando em nossas vidas.

Elemento #1 – Obediência e fé

Obediência e fé são os elementos essenciais para se vencer uma batalha estando em Deus. Podemos aprender isso estudando e analisando a história de Gideão e os 300. (Juízes Cap. 6 a 8)

Acontece que Israel estava oprimida pelos midianitas e, para livrar seu povo, Deus ordenou a Gideão que tomasse a frente do exército. Por obediência ao Senhor, Gideão se tornou líder de 32 mil homens. Porém, para dar uma lição no povo, que estava adorando ídolos, Deus manda reduzir seus homens a apenas 300. Reduzir um exército de 32 mil homens para um grupo de 300 exigiu de Gideão não só obediência como também fé.

A redução do exército também nos mostra que nem todos estamos prontos para o combate e que Deus escolhe dentre muitos aqueles que vão fazer a diferença na linha de frente da guerra.

Elemento #2 – Seguir as estratégias traçadas por Deus

Um ótimo exemplo de estratégia em batalha é a história de Josué e a conquista da terra prometida. (Josué 1:10-18 e capítulos 2, 6 e 8)

Josué foi o sucessor de Moisés e o encarregado de introduzir o povo de Deus na Terra Prometida e para isso, teve que conquistá-la por meio de uma dura batalha. Uma história que conta com espiões e uma estratégia divina. Vale a pena o leitor estudar essa história.

A grande questão nesse ponto é que Deus nos deixou através de sua palavra instruções do que iria acontecer no final dos tempos (Mateus 24 e 25, Apocalipse e Daniel principalmente), todos os eventos naturais e sobrenaturais para que seu povo se prepare de forma adequada, mas o que a igreja faz?  Simplesmente torce o nariz quando se fala em final dos tempos ou ignora esses ensinamentos.  Ignorar as estratégias que Deus nos deixou é a fórmula correta para o fracasso. Que possamos aprender com Josué que por mais “estranha” que seja a estratégia passada por Deus, somente Ele pode nos garantir a vitória completa.

Elemento #3 – Ousadia e coragem

Um outro exemplo que me chama muito a atenção é o de Davi com os filisteus. Você já conhece a história de Davi e Golias. Mas, sabia que a guerra contra os filisteus (povo ao qual pertencia o gigante) não parou por ali? A guerra só terminou depois que Davi se tornou rei. Até lá, várias batalhas foram travadas. E ainda tem um episódio interessante que o próprio pequeno guerreiro se refugia no meio do exército filisteu! (Leia em I Samuel cap. 17; 18, 6-16; capítulos 28 e 29; II Samuel 5, 17-25; capítulo 8.)

Ao enfrentar o gigante que afrontava o povo de Deus, Davi não só mostrou ousadia como coragem também. Os cristãos nos dias de hoje muitas das vezes não tem ousadia no Senhor, não possuem estrutura emocional para suportar uma provação e finalmente não tem nenhuma preparação para os dias difíceis que se aproximam.

Precisamos avaliar aquilo que precisa mudar em nossa vida com Deus. Precisamos permitir que a palavra de Deus em sua plenitude nos transforme e nos prepare. Sem as mudanças necessárias seremos apenas mais um número sem qualquer relevância no mundo espiritual. Deus nos chamou para sermos mais.

Conclusão: 

Você está com seus olhos atentos aos sinais e acontecimentos ao redor do mundo? Tem consciência do momento em que estamos vivendo? Está se preparando no Senhor? Hoje mais do que nunca o mundo precisa ouvir falar de Cristo. Estamos caminhando para o momento que a Bíblia chama de “apostasia” no qual o amor de muitos esfriará. As pessoas estarão cada vez mais longes de Deus e muitas vidas vão se perder se não fizermos a nossa parte.

Deus abençoe ricamente a sua vida.

 72 total views,  1 views today

elmar_ricardo

Servo do Senhor Jesus que tem a missão de trazer luz e esclarecimentos a todos que queiram entender melhor a palavra de Deus e os sinais do final dos tempos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.