• Qua. Mai 12th, 2021

Voz no Deserto

Conhecendo a Palavra de Deus aplicada aos últimos tempos

O Cristão e o Arrebatamento da Igreja

Byelmar_ricardo

Jan 25, 2021

Texto base: João 14:1-3

“Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim. Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu teria dito a vocês. Vou preparar lugar para vocês. E, quando eu for e preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver.”

1 Tessalonicenses 4:15-17

“Dizemos a vocês, pela palavra do Senhor, que nós, os que estivermos vivos, os que ficarmos até a vinda do Senhor, certamente não precederemos os que dormem. Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que estivermos vivos, seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre.”

Introdução:

Um dia Jesus voltará e todos que o amam serão levados para o Céu. Os mortos ressuscitarão e os crentes que estão vivos serão transformados. Todos juntos subiremos a Céu para morar lá para sempre. Esse acontecimento é conhecido como o arrebatamento.

Jesus foi arrebatado 40 dias depois de ressuscitar, para nos preparar um lugar no Céu. Enoque e Elias foram arrebatados – não morreram, subiram vivos ao Céu. Algumas pessoas na Bíblia também foram ao Céu em espírito numa visão. E um dia nós vamos nos juntar a eles.

O arrebatamento é um acontecimento extraordinário que vai acontecer em breve, profetas e servos de Deus do passado tiveram essa experiência e a igreja de hoje precisa se preparar para tal evento.

Existem algumas linhas teológicas dentro da escatologia para a questão do arrebatamento, uma dessas linhas acredita que o arrebatamento acontecerá um pouco antes do início do governo do anticristo, outra linha acredita que a igreja passará a primeira metade (3,5 anos) da tribulação para depois ser arrebatada e ainda temos a linha teológica que acredita que a igreja passará por toda a grande tribulação sendo arrebatada no final. Trataremos desses pontos em estudos futuros. Hoje quero refletir com você e te levar a fazer uma auto análise da sua vida cristã.

Pensando dessa forma, quais seriam os requisitos para que sejamos arrebatados? Será que todos que se declaram cristãos estarão com Jesus quando esse evento acontecer? A forma como temos vivido nossas vidas eclesiásticas tem alguma influência nisso?

No artigo de hoje desejo compartilhar com os irmãos 7 características de um cristão verdadeiro que terá uma das moradas no qual Cristo se referiu em João 14:1-3. Um verdadeiro cristão precisa:

1 – Ter tido uma experiência de conversão genuína

Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. João 3:3

Parece meio óbvio dizer isso, mas é necessário que se saiba que nem todos seremos arrebatados. A condição principal é que você tenha tido uma verdadeira experiência de conversão, ou seja, que você tenha se arrependido de sua vida anterior de pecados e tenha aceitado o Senhor Jesus como seu único e suficiente salvador.

Por mais básica que seja essa informação precisamos também estar cientes que dentro das igrejas existem pessoas que não cumprem esse quesito, ou seja, pessoas que frequentam alguma igreja, participam dos diversos trabalhos, ouvem a palavra ministrada, mas nunca tiveram uma experiência genuína de conversão.

Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro. Mateus 13:30

Aqui vemos dois tipos de pessoas que estão presentes na igreja, o joio (pessoas que não tem comunhão com Deus e que não passaram por uma experiência de conversão) e o trigo (o verdadeiro cristão convertido), ambos crescem na igreja, mas o destino o final de cada um é totalmente diferente. O joio será jogado no fogo para ser queimado, o trigo fará parte do “celeiro” do Senhor. Portanto aquele que não tem uma experiência de conversão não estará entre aqueles que serão arrebatados.

2 – Amar e obedecer a Palavra de Deus

Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. Deuteronômio 6:5

 Se pudesse definir em uma palavra o que significa ser um cristão verdadeiro essa palavra seria amor. Deus estruturou o plano de salvação para homem a partir do pecado original cometido por Adão por amor.  Jesus se entregou na cruz do calvário para nos resgatar do pecado por amor. O amor é a base de todo o cristianismo. Ser um cristão verdadeiro significa amar de forma verdadeira e profunda a Deus e a sua palavra.

Amarás, pois, ao SENHOR teu Deus, e guardarás as suas ordenanças, e os seus estatutos, e os seus juízos, e os seus mandamentos, todos os dias. Deuteronômio 11:1

Nós só amamos aquilo que conhecemos e confiamos, o conhecimento da pessoa de Deus vem atrás do estudo da sua Palavra. Guardar suas ordenanças e seus estatutos no coração e na mente certamente é o segredo para conhecer e amar ao Senhor acima de todas as coisas. Como você tem se relacionado com o Senhor? Você ama a Sua palavra?

Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? 1 João 4:20

Aqui nós temos um paradoxo. Se você é um verdadeiro cristão, diz que ama a Deus sobre todas as coisas, mas não demonstra o mesmo amor para com seu próximo a Bíblia diz que você é um mentiroso.

Perceba uma coisa, a Bíblia nos orienta a amar a todos, sem distinção, mas não precisamos nos relacionar com todo mundo. Grandes multidões seguiam a Cristo para ouvir suas mensagens e ser curado, mas Jesus se relacionava com poucos (Os 12 apóstolos). E isso é uma coisa natural em nossas vidas, conhecemos muitas pessoas, mas poucas fazem parte da nossa intimidade.

Nem todo mundo vai gostar de você, isso é fato. Nem Cristo agradou a todo mundo, mas é necessário que aquele que nasceu de novo em Cristo Jesus tenha uma centelha do amor de Deus dentro de si. O amor de Deus ama sem barreiras, sem impedimentos, sem condições impostas. Cristo nos ensina a amar nossos inimigos e a orar por eles.

A barreira do amar ao próximo se torna grande muitas das vezes por conta de nossos julgamentos. Estamos julgando o tempo todo, julgamos uma pessoa pela roupa que está usando, julgamos alguém pela tatuagem que usa, se a pessoa é muito magra ou muito gorda entre outros. Nossos julgamentos a cerca de alguém não pode servir de barreira para exercermos o verdadeiro amor de Cristo. Como você tem demonstrado o amor de Deus na vida das pessoas?

3 – Não esconder a sua identidade celestial

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade estabelecida sobre um monte; (Mateus 5:14)

Existem muitas pessoas que vivem uma vida cristã dupla. São uma coisa dentro da igreja, mas fora dela são outras pessoas, se assemelhando muito com as pessoas do mundo. Essa vida dupla denota duas coisas: A primeira uma crise de identidade espiritual.  A pessoa já experimentou o amor de Deus e da bênção que é servi-lo, mas por alguma questão em sua vida, o mundo ainda o atrai, existe dentro do seu coração um desejo de se assemelhar com algum ídolo, ter muito dinheiro (não que o dinheiro seja um problema, a Bíblia fala que o amor ao dinheiro que é perigoso), fama, muitos carros, viajar o mundo entre outras coisas. Seu coração está dividido e um coração dividido não é capaz de amar plenamente.

A segunda questão que denota uma vida dupla é que não houve uma experiência real de conversão. Talvez essa pessoa tenha simpatizado com o evangelho achando tudo muito bonito, com o tempo até participou ativamente de muitos trabalhos da igreja, mas sua mente foi se acostumando com tudo aquilo. Não houve um reconhecimento verdadeiro de sua condição como pecador, portanto com o passar do tempo outras influências te desviaram do foco.

Aquele que é nascido de novo, mesmo que não fale uma única palavra pra se identificar como cristão, mas suas atitudes, maneira de pensar e valores pessoais vão te “denunciar”.

Veja como um dos discípulos do Senhor omitiu sua identidade, mas as pessoas perceberam-no:

Um pouco depois, aproximaram-se os que estavam ali de pé, e disseram a Cefas: certamente tu também és um deles, pois mesmo tua maneira de falar te delata (Mateus 26:73)

Você tem escondido a sua identidade cristã do mundo? As pessoas que te conhecem reconhecem o caráter de Cristo em sua vida? Ou você é mais um “crente chato” que vive falando de Deus, mas suas ações e sua vida não demonstram aquilo que você professa?

4 – Todo Cristão deve ser misericordioso

E Jesus, passando adiante dali, viu assentado na alfândega um homem, chamado Mateus, e disse-lhe: Segue-me. E ele, levantando-se, o seguiu. E aconteceu que, estando ele em casa sentado à mesa, chegaram muitos publicanos e pecadores, e sentaram-se juntamente com Jesus e seus discípulos. E os fariseus, vendo isto, disseram aos seus discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores? Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento. Mateus 9:9-13

Essa passagem dentre algumas que envolvem os fariseus me chama muito atenção, pois é um exemplo típico de como um cristão verdadeiro não deve ser. Aqui vemos Jesus sendo criticado por sentar na mesma mesa de publicanos e pecadores. Assim se comporta o crente cheio de religiosidade e cego de misericórdia. Apontam o dedo para criticar, julgam o próximo e fazem distinção de pessoas.

O verdadeiro cristão quer salvar as pessoas. Jesus não se importava em sentar na mesma mesa de publicanos e pecadores porque seu coração estava cheio de misericórdia e amor, seu objetivo era salvar almas e não vestir uma “carapaça” de super crente que não pode se misturar com pecadores.

Hoje nossas igrejas estão cheias de fariseus, aparentam ser pessoas de Deus, mas na verdade estão mais preocupadas com dogmas, com costumes, seus corações estão vazios de misericórdia e amor.

Estamos vivendo momentos decisivos na história, as hordas de satanás estão agindo, manipulando pessoas, se estruturando. O mundo está sendo preparado para a chegada do anticristo e do falso profeta, pessoas estão sendo ceifadas desse mundo sem conhecer o amor de nosso Senhor Jesus e qual tem sido a preocupação dos “fariseus” dos dias de hoje? Será que nosso foco está em chamar os pecadores ao arrependimento?

5 – Viver em santidade

E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente. Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração; Os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para com avidez cometerem toda a impureza. Mas vós não aprendestes assim a Cristo, Se é que o tendes ouvido, e nele fostes ensinados, como está a verdade em Jesus; Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente; E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade. Efésios 4:17-24

Muito contrário a cultura de nossa sociedade, ser santo não significa ser perfeito ou sem pecados (o que ninguém consegue ser), nem tão pouco aquele que teve uma estátua feita em sua homenagem após sua morte, mas sim aquele que é divorciado do padrão de vida pecaminoso deste mundo! As principais características de quem é santo são a obediência e a fidelidade a Deus.

Quando Jesus vier arrebatar a sua igreja o que Ele vai encontrar na terra? Uma igreja com os padrões do mundo ou uma igreja que está divorciada com o pecado? Deus nos chama para a santidade, Ele deseja que sejamos fiéis e obedientes a sua palavra. Ele quer ter um relacionamento profundo com você.

E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis, Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens? 1 Coríntios 3:1-3

Aqui vemos uma separação bem clara entre “espirituais” e “carnais”. Quando damos vazão a nossa carne nos tornamos como meninos em Cristo, que não consegue andar direito e não se alimenta com alimentos sólidos. Muitas igrejas de nossos tempos são subnutridas, pois não conseguem se desenvolver e crescer no conhecimento de Cristo.

Precisamos abandonar a inveja, contenda e dissensões que tanto nos afasta de Deus e fragiliza o corpo de Cristo. Um corpo mal alimentado se torna um corpo fraco e doente, porque esse corpo não tem priorizado aquilo que é fundamental para sua nutrição. Que possamos hoje abandonar toda a carnalidade que existe em nós e que nos atrapalha de nos alimentarmos com “carne”. Sem santidade ninguém verá a Deus. (Hebreus 12:14).

6 – O cristão verdadeiro não tem ídolos evangélicos

Mas vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, acercou-se de Arão, e disse-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses, que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu. E Arão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro, que estão nas orelhas de vossas mulheres, e de vossos filhos, e de vossas filhas, e trazei-mos. Então todo o povo arrancou os pendentes de ouro, que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Arão. E ele os tomou das suas mãos, e trabalhou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Este é teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito. E Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e apregoou Arão, e disse: Amanhã será festa ao Senhor. E no dia seguinte madrugaram, e ofereceram holocaustos, e trouxeram ofertas pacíficas; e o povo assentou-se a comer e a beber; depois levantou-se a folgar. Êxodo 32:1-6

A idolatria gospel é uma realidade no meio cristão. Não faltam cantores e pregadores com status de astros do rock internacional. Fazem performances diversas e o povo aplaude e colocam muitos deles em um patamar de santidade que certamente não é o real.

Muitas das vezes o evangélico aponta o dedo para seu irmão católico dizendo que há idolatria nos “santos” feitos por mãos de homens. Sim certamente isso é idolatria, mas o evangélico que endeusa um determinado pastor ou cantor será que também não está cometendo idolatria?

Se os israelitas do tempo antigo pecavam juntando-se com outras nações e adorando deuses estranhos, muitos crentes de hoje em dia, infelizmente, mergulham à fundo na sua falta de entendimento e desejos por aventuras e colocam no palco, e até nos altares das igrejas evangélicas, a abominação da idolatria gospel. Adorar ídolos evangélicos não é muito diferente do que adorar os deuses estranhos que os israelitas adoraram antigamente.

Quem tem sido o “bezerro de ouro” da sua vida? Você tem dado espaço para ídolos do mundo gospel? Admirar o trabalho de alguém é normal, não há problemas nisso, o problema é quando colocamos esse alguém no lugar de Deus em nossas vidas.

7 – O cristão verdadeiro não é religioso

A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo. Tiago 1:27

Ser religioso e ser espiritual são coisas completamente diferentes. Se observarmos na Bíblia os maiores embates que Jesus teve durante seu ministério foram com os fariseus. Os fariseus representavam a elite religiosa da época, eram pessoas extremamente legalistas, zelosos da lei, mas por dentro eram pessoas corrompidas e vazias.

Nos dias de hoje não é difícil identificar um fariseu nos templos religiosos. Podemos observar de tudo, igrejas onde o foco são os bens materiais, vendas de objetos ungidos, motel de evangélicos, boate de evangélicos e todo o tipo de heresias.

Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. Tiago 1:26

A religiosidade fica evidenciada em nossa atitude de falar mal dos outros, fazer fofocas, viver criticando e julgando. Temos que tomar cuidado com a nossa língua, ser ávidos por ouvir e tardio no falar.

A religiosidade exagerada é realmente um veneno que volta o ser humano contra o próprio Deus, embora esteja convencido de que só está fazendo as coisas certas para Ele.

A religiosidade é perigosa porque:

1 – Despreza as pessoas necessitadas, deixando os crentes mais insensíveis e arrogantes quanto às necessidades alheias. 

Já viu crentes tratando certas pessoas com parcialidade, discriminação e desprezo? Se viu, não julgue! Ore a Deus para que o Espírito Santo venha trabalhar na vida dos religiosos e convencê-los de seus pecados e zelos falsos e exagerados.

2 – A religiosidade faz o crente ficar fanático e cego.

O crente religioso acha que está servindo ao Senhor Jesus, mas despreza seus mandamentos mais básicos e é arrogante demais para perceber isso!

Infelizmente há muitas igrejas hoje em dia que estão trocando os mandamentos de Deus por suas tradições e estatutos, sejam pequenas ou grandes! Assim como crentes também.

Devemos tomar muito cuidado com a religiosidade na igreja evangélica atual e as tradições “super espirituais” que estão impregnadas por aí, cheias de fanatismos, como se fossem regras da Bíblia, quando não são.

Certos crentes desprezam outros porque não falam em ‘outras línguas’, alguns crentes acham outros descomprometidos com Deus só porque não sobem ao monte para orar; o uso de calça é obrigatório para homens etc.

Todos estes são costumes religiosos implantados pelos homens, mas não são doutrinas da Bíblia Sagrada, precisamos tomar muito cuidado. Convivemos com isso no dia a dia.

3 – O crente religioso é falso para com Deus e normalmente vive de aparências

A religiosidade humana leva o homem a desprezar os mandamentos de Deus, e a substitui pelas tradições que os homens julgam serem corretas. Há igrejas em nossa atualidade que agem dessa forma.

4 – O crente religioso pode até ser um pregador da palavra, mas não é um praticante

Infelizmente muitos crentes gostam de falar e criticar os erros dos outros, e ficam espalhando comentários com várias pessoas sobre a vida dos outros. Você já viu algum crente fazendo isso? Já viu crente pregando assim, jogando indiretas para alguém dos púlpitos e ainda usando versículos bíblicos para isso? Isso é a religiosidade na igreja evangélica! Isso é também imaturidade na vida cristã e no modo de ensinar/pregar a Palavra de Deus.

Conclusão:

Poderia ficar citando muitos outros exemplos, mas creio que você já tenha entendido e identificado na sua própria vida se existe esse tipo de religiosidade. Se você se identificou com alguma coisa aqui, peça hoje perdão a Deus e ajuste sua vida para estar preparado para o dia em que o Senhor Jesus vier arrebatar a sua igreja.

Deus abençoe ricamente.

 67 total views,  1 views today

elmar_ricardo

Servo do Senhor Jesus que tem a missão de trazer luz e esclarecimentos a todos que queiram entender melhor a palavra de Deus e os sinais do final dos tempos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.