• Sáb. Nov 27th, 2021

Voz no Deserto

Conhecendo a Palavra de Deus aplicada aos últimos tempos

A assembleia de Mortos

Byelmar_ricardo

Set 30, 2021

Texto base: Apocalipse 3:1-6

“E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto. Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus. Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. Mas também tens em Sardes algumas poucas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso. O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.”

Introdução:

As Sete Congregações da Revelação, também conhecidas como as Sete Congregações da Ásia Menor, são as Congregações das cidades mais importantes desta região no início do cristianismo, mencionadas no livro do Apocalipse, no Novo Testamento. Atualmente, todas as ruínas destas antigas cidades encontram-se na Turquia.

Basicamente existem duas interpretações principais sobre este assunto. Uma das interpretações defende que as sete igrejas do Apocalipse representam sete períodos sucessivos da História da Igreja. Essa interpretação é conhecida como “As Sete Eras da Igreja”. Geralmente essa interpretação é adotada por quem defende a posição Dispensacionalista, mas isso não é regra. Nessa interpretação o significado das sete igrejas do Apocalipse é o seguinte:

1 – Éfeso representa a igreja apostólica (30 – 100 d.C.);

2 – Esmirna representa a igreja perseguida, a igreja dos mártires (100 – 312 d.C.);

3 – Pérgamo representa a igreja que se uniu ao estado (313 – 590 d.C.);

4 – Tiatira representa a igreja da Idade Média, corrupta e idólatra (590 – 1517 d.C.);

5 – Sardes representa a igreja da reforma (1517- 1730 d.C.);

6 – Filadélfia representa a igreja missionária (1730-1900 d.C., sendo que alguns estendem esse período até a volta de Cristo, ocorrendo paralelamente à Igreja de Laodicéia);

7 – Laodicéia representa a igreja apóstata (1900 d.C. até a volta de Cristo).

A outra interpretação defende que as igrejas do Apocalipse e, o conteúdo de suas cartas, representam condições que se repetem muitas vezes durante a História da Igreja, ou seja, não descrevem um período específico da História, mas realidades que sempre estiveram presentes na Igreja.

No estudo de hoje vamos refletir sobre a realidade da igreja de Sardes. Sobre as observações e repreensões que Jesus faz ao falar dessa igreja. Precisamos entender de Sardes representa a realidade espiritual de muitas pessoas que hoje se encontram perdidas, frequentam um templo, cumprem ritos e toda a liturgia religiosa de suas denominações, mas por dentro estão mortos espiritualmente. Na nossa relação com Deus precisamos entender que:

1 – Ele nos observa e nos conhece

“Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto.” Apocalipse 3:1

Jesus nos observa atentamente, Ele sabe de tudo que se passa em nosso coração e sabe o que nos motiva a fazer as Suas obras. Muitas das vezes com o passar do tempo a nossa motivação ao fazer o trabalho para o Senhor deixou de ser o Senhor e virou algo mecânico, algo que nos acostumamos a fazer ou algo por interesse, sim fazemos porque esperamos receber uma bênção em determinada área de nossa vida. Qual tem sido a sua motivação? Assim como no texto que acabamos de ler, aparentamos vivos, mas estamos mortos e muitas das vezes não nos damos conta disso.

“Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados.” 2 Coríntios 13:5

O que nos leva a morte espiritual é o pecado, a palavra de Deus nos orienta a nos examinar a fim de que possamos identificar na nossa vida algum pecado que esteja impedindo a nossa permanência na fé em Cristo Jesus. Perceba que o pecado é como se fosse uma espécie de câncer, quanto mais cedo você detectar mais fácil será tratar e se curar dele. A questão é que muitos flertam com o pecado e esse com o tempo vai se tornando maior e mais forte cauterizando nossa mente e nossa consciência espiritual. Que pecado você tem flertado em sua vida? O que você ainda não está tratando com Deus?

2 – Devemos vigiar para não cair

Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus.” Apocalipse 3:2

A nossa vida cristã não é algo que acontece em um momento e se torna definitivo, ela é um processo. Quando conhecemos a Cristo se inicia uma jornada que só vai terminar quando o Senhor nos chamar desse mundo. Todo dia devemos estar atentos e melhorar 1% do que fomos ontem.

Uma lição preciosa que salta aos meus olhos ao ler esse versículo que é apesar de Jesus dizer que essa igreja estava morta, Ele faz uma recomendação de vigilância e confirmação daqueles que estavam para morrer, ou seja, apesar da igreja estar morta AINDA existiam aqueles que não se corromperam nela. Por mais que você sinta que sua relação com Deus esteja morta saiba que AINDA resta vida em você.

Apesar de não sermos perfeitos Deus nos chamou para realizar uma obra perfeita que é difundir sua palavra de amor e pregar o evangelho pelo mundo. Quando estamos mortos espiritualmente essa obra deixa de ser aceitável por Deus e passa a ser vista como imperfeitas, pois não há como fazer a obra de Deus mergulhado em pecado. O mover do Espírito Santo simplesmente não acontece. Portanto se hoje você se encontra mergulhado em pecados peça perdão a Deus, peça para que Ele limpe seu coração para que as suas obras possam ser novamente perfeitas diante de Deus.

3 – Devemos voltar ao nosso primeiro amor

Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.” Apocalipse 3:3

“Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido…”, volte a época em que você se converteu e que seu coração pulsava forte quando estava na igreja, quando ouvia aquele hino, quando fazia aquele evangelismo, quando ouvia aquela pregação, lembre-se do que Deus fez na sua vida até agora. Seja grato. Reconheça que sua vida hoje com Deus não é o que deveria ser.

Mais uma vez o Senhor Jesus nos alerta sobre as consequências de não sermos vigilantes, Ele virá como um ladrão, ou seja, você estará despreparado, mas essa preparação passa primeiro pelo seu estado de alerta (vigia pela sua vida espiritual), em segundo lugar pela observância das coisas que vem acontecendo no mundo, ou seja, os sinais de volta do Senhor. O princípio das dores. Em terceiro pelo seu conhecimento, dedicação e estudo das profecias do fim aplicadas e contextualizadas aos tempos modernos.

“Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.” 2 Pedro 3:8-10

Embora a mensagem seja clara, muitos vivem como se a volta de Cristo estivesse muito longe ou como se nunca fosse acontecer. A questão é que o tempo que Jesus se refere como o princípio das dores não só sinaliza a proximidade da volta de Cristo, como também serve de alerta para a Igreja que o tempo de sua redenção se aproxima.

Deus não quer que ninguém se perca, Ele é longânimo em seu amor. Embora a humanidade esteja corrompida e cada vez mais longe de Sua presença, compete a igreja nesse tempo rever suas prioridades e seu senso de urgência em voltar a fazer o essencial, pregar o arrependimento e a volta de Jesus.

4 – A igreja remanescente estará com Jesus

Mas também tens em Sardes algumas poucas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso. O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.” Apocalipse 3:4,5

Embora as palavras de Jesus para a igreja de Sardes inicialmente tenham sido duras, Ele também enxergou que nela havia poucas pessoas que tinham se mantido fiéis e não estavam mortas espiritualmente. Assim também será nos últimos tempos, a igreja tem se contaminado cada vez mais com doutrinas de homens e doutrinas de demônios, encontrar o evangelho puro e genuíno sendo pregado está cada vez mais raro, porém não devemos nos esquecer que o período do princípio das dores e principalmente da tribulação e grande tribulação vão servir definitivamente para separar o trigo do joio, pois não haverá espaço para cristão nominal que está morto espiritualmente. Esses serão facilmente corrompidos e seduzidos pelo sistema da besta, contudo aqueles que perseverarem até o fim serão dignos de se vestirem de branco e estarem junto ao Mestre.

Conclusão:

A Nova Ordem Mundial está muito perto de ser estabelecida no mundo. Uma só economia, uma só religião e um só líder mundial serão estabelecidos no período que a Bíblia chama de tribulação e grande tribulação.

Os sinais da volta do nosso Senhor Jesus estão cada vez mais gritantes, na natureza, através de vulcões entrando em erupção, terremotos cada vez mais violentos, secas e chuvas jamais vistas antes. O amor entre as pessoas está acabando, a violência aumentando, pandemias surgindo, manifestações diversas no mundo físico e metafísico. Por mais cético que você seja, não há como negar que esses 2 últimos anos tem sido bem singular.

Diante desse cenário qual tem sido a diferença que a igreja tem feito no mundo? Estamos apenas assistindo tudo e achando que amanhã tudo voltará ao normal ou nosso senso de urgência em fazer a obra de Deus, pregar arrependimento, salvação e falar da volta de Jesus estão no cerne de nossas prioridades? Se na sua igreja o seu pastor não tem falado nada sobre esses temas então ore por ele e peça que o Espírito Santo desperte o senso de urgência necessário na vida dos verdadeiros cristãos. O tempo para dormir acabou.

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” Apocalipse 3:6

Deus abençoe ricamente a sua vida.

 73 total views,  1 views today

elmar_ricardo

Servo do Senhor Jesus que tem a missão de trazer luz e esclarecimentos a todos que queiram entender melhor a palavra de Deus e os sinais do final dos tempos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.