• Qua. Mai 12th, 2021

Voz no Deserto

Conhecendo a Palavra de Deus aplicada aos últimos tempos

4 Fatos que descaracterizam a Igreja Moderna

Byelmar_ricardo

Fev 7, 2021

Texto base: Romanos 12:2

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Introdução:

Ao longo da história a igreja passou por grandes transformações. Sofreu perseguições, seus santos foram mortos em diversas épocas da história, sofreu todo tipo de ataque, mas permaneceu inabalada. Com o tempo os ataques a igreja se tornaram mais sofisticadas, a coisa começou a ser mais velada, mais ideológica, mais sutil.  Dessa forma muitas instituições religiosas foram se afastando do seu primeiro amor e começaram a adotar em seus ritos religiosos doutrinas de demônios e de homens.

O fato é que os cristãos de hoje não possuem as mesmas características dos santos do passado. A igreja hoje sofre com um mal chamado religiosidade, dogmas e tradições que muitas das vezes se tornam mais importantes que os próprios ensinos bíblicos. Quantas doutrinas e ritos religiosos não surgiram ao longo das décadas tendo como base simplesmente o “achismo” dos homens em detrimento a palavra de Deus? A igreja de Cristo tem a cada dia tomado a forma do mundo. Muitas das vezes nosso testemunho pessoal é ruim e denigre as coisas de Deus, quando isso acontece a igreja como um corpo sofre pois quem não ainda não teve uma experiência de conversão será repelido pelos seus comportamentos e atitudes.

Hoje vamos refletir sobre 4 erros que a igreja moderna comete e que vem descaracterizando fortemente sua atuação e influência no mundo. Será que você como a noiva de Cristo não está também cometendo esses mesmos erros? Quando comparamos a igreja moderna com a igreja primitiva percebemos que há grandes diferenças entre elas que hoje dificulta a igreja moderna de se multiplicar e crescer bem como a palavra de Deus. A igreja nos tempos de hoje não está preparada para:

1 – Confrontar o mundo

Outros diziam: É Elias. E diziam outros: É um profeta, ou como um dos profetas. Herodes, porém, ouvindo isto, disse: Este é João, que mandei degolar; ressuscitou dentre os mortos. Porquanto o mesmo Herodes mandara prender a João, e encerrá-lo maniatado no cárcere, por causa de Herodias, mulher de Filipe, seu irmão, porquanto tinha casado com ela. Pois João dizia a Herodes: Não te é lícito possuir a mulher de teu irmão. E Herodias o espiava, e queria matá-lo, mas não podia. Marcos 6:14-19

João Batista talvez seja um dos melhores exemplos quando falamos em confrontar o mundo. Suas pregações chamavam a atenção de muitas pessoas, mas João tinha uma característica fundamental que hoje falta nas igrejas modernas. Suas pregações tinham dois elementos fundamentais, o chamado ao arrependimento e as denúncias do pecado.

João vivia de modo simples, encorajava a compaixão, a caridade, a honestidade e a justiça. Em uma de suas pregações, sempre enérgicas, João acusou Herodes por sua ligação espúria com a sua cunhada, Herodíades, mulher de seu irmão Filipe, o que levou o povo a acusá-los de incesto.

Os elementos contidos nas pregações de João Batista têm faltado a muitas igrejas no presente, são poucos pregadores que se preocupam em denunciar o pecado, normalmente as igrejas vivem um evangelho em um mundo à parte, como se nada estivesse acontecendo. Com isso somos cada vez mais negligentes com o erro pois estamos preocupados em não escandalizar ninguém ou ofender. O conceito do politicamente correto tem amordaçado muitos irmãos em Cristo.  A coisa nesse sentido é tão séria que mesmo dentro das igrejas se você falar abertamente sobre determinados assuntos corre o risco de arrumar problemas sérios com sua liderança.

Hoje as igrejas muitas das vezes estão mais preocupadas em viver suas vidas eclesiásticas sem arrumar problemas, sem contrariar ninguém, sem ser o sal e a luz do mundo no qual ela foi chamada pra ser. João Batista denunciava o pecado e como consequência foi decapitado por isso. Aqui vai mais um ponto de alerta, as igrejas não estão dispostas a pagarem o preço pelo seu amor a Cristo. Não estão dispostas a “perderem a cabeça” por isso. Você está disposto a confrontar o mundo por amor a Cristo?

2 – Confrontar o sistema

“Trouxeram-lhe, então, um endemoninhado cego e mudo; e, de tal modo o curou, que o cego e mudo falava e via. E toda a multidão se admirava e dizia: Não é este o Filho de Davi? Mas os fariseus, ouvindo isto, diziam: Este não expulsa os demônios senão por Belzebu, príncipe dos demônios. Jesus, porém, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: Todo o reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda a cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. E, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino? E, se eu expulso os demônios por Belzebu, por quem os expulsam então vossos filhos? Portanto, eles mesmos serão os vossos juízes. Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, logo é chegado a vós o reino de Deus. Ou, como pode alguém entrar na casa do homem valente, e furtar os seus bens, se primeiro não maniatar o valente, saqueando então a sua casa? Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha. Portanto, eu vos digo: Todo o pecado e blasfêmia se perdoará aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do homem, ser-lhe-á perdoado; mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro. Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más. Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.” Mateus 12:22-36

Nessa passagem Jesus cura uma pessoa que estava possuída e que também era cega e muda. O que se passa após o milagre que é o mais interessante. Muitos se maravilharam com o que tinha acontecido, porém um grupo de religiosos fariseus começaram a criticar o ato de Jesus e questionar se a cura realizada não foi obra do demônio. Jesus ao perceber o que estava acontecendo questionou aqueles religiosos e os confrontou.

Jesus em seu ministério aqui na terra teve vários embates com os fariseus, e esse grupo representava a elite religiosa judaica da época. Eram homens zelosos pela lei, tinham discursos eloquentes, falavam de Deus, porém seus corações estavam longe de tudo aquilo. Jesus conhecendo o coração desses homens os chamava de “raça de víboras”. Víbora era a pior espécie de cobra conhecida até aquele momento. Cristo conhecia os corações daqueles homens corrompidos e confrontava o sistema religioso da época.  Quanto de nós nos calamos diante de coisas erradas que são feitas nas igrejas?

A igreja moderna não está pronta para confrontar o sistema religioso vigente pois ela mesma faz parte disso. Muitos de nós nos acostumamos como as coisas são conduzidas ao longo dos anos e preferimos ficar em nossa zona de conforto. Jesus não estava preocupado com tradições religiosas, mas sim em resgatar vidas do inferno. Levar a mensagem do reino a todos e dar uma oportunidade para homem se arrepender de seus caminhos. A palavra de Deus é clara: “Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha.” Mateus 12:30.  Ao não se posicionar e não confrontar o mundo e o sistema você automaticamente faz parte dele. Não há meio termo.

3 – Sofrer por Cristo

E Eliseu estava doente da enfermidade de que morreu, e Jeoás, rei de Israel, desceu a ele, e chorou sobre o seu rosto, e disse: Meu pai, meu pai, o carro de Israel, e seus cavaleiros! E Eliseu lhe disse: Toma um arco e flechas. E tomou um arco e flechas. Então disse ao rei de Israel: Põe a tua mão sobre o arco. E pôs sobre ele a sua mão; e Eliseu pôs as suas mãos sobre as do rei. E disse: Abre a janela para o oriente. E abriu-a. Então disse Eliseu: Atira. E atirou; e disse: A flecha do livramento do Senhor é a flecha do livramento contra os sírios; porque ferirás os sírios; em Afeque, até os consumir. Disse mais: Toma as flechas. E tomou-as. Então disse ao rei de Israel: Fere a terra. E feriu-a três vezes, e cessou. Então o homem de Deus se indignou muito contra ele, e disse: Cinco ou seis vezes a deverias ter ferido; então feririas os sírios até os consumir; porém agora só três vezes ferirás os sírios. Depois morreu Eliseu, e o sepultaram. Ora, as tropas dos moabitas invadiram a terra à entrada do ano.  2 Reis 13:14-20

Eliseu acompanhou e serviu a Elias por um tempo e, antes que fosse arrebatado em direção aos céus numa carruagem de fogo, Eliseu pediu a Elias uma “porção dobrada do espírito de Elias” como vontade de sucedê-lo na obra do Senhor. E foi lhe dada uma porção dupla da sua unção assim que Elias lançou sobre ele seu manto oficial.

Muitas foram as obras deste profeta com a capa de Elias. Entre elas: ele abriu as águas do Jordão; multiplicou o azeite de uma viúva que temia que seus dois filhos fossem levados como escravos por causa de dívidas deixadas pelo falecido marido; ele também profetizou o nascimento do filho de uma mulher sunamita e, anos depois quando o menino teve uma forte dor de cabeça e morreu, Eliseu deitou sobre ele, orou, e o trouxe de volta à vida; foi usado pelo Senhor para curar Naamã da lepra pedindo a ele que mergulhasse sete vezes no rio Jordão; profetizou vitória sobre os moabitas e previu planos de  inimigos do rei; alimentou multidão; e até mesmo depois que morreu, um outro corpo morto foi colocado em sua sepultura, e assim que este corpo encostou nos ossos do profeta tornou a vida.

Coisas maravilhosas e poderosas Deus realizou através do profeta Eliseu, porém quando ficou doente Deus não curou a sua enfermidade. Eliseu tinha a “porção dobrada do espírito de Elias” e mesmo assim morreu de sua doença. Certamente a doença de Eliseu o fez sofrer durante algum tempo, mesmo enquanto ele realizava a obra de Deus, mas ele não foi curado por Deus. Diferentemente do que é pregado e ensinado em muitas igrejas, Deus pode não querer curar sua enfermidade ou “espinho na carne”. Existe um propósito de Deus nessas situações que ultrapassa a compreensão humana. O que nos resta é confiar na soberania de Deus.

Nas igrejas modernas há um apelo para o triunfalismo, o cristão é imbatível, aquele que prospera financeiramente porque é fiel nos dízimos, aquele cuja doenças são curadas por Deus, aquele que está protegido de tudo porque é servo do Senhor, entre outras coisas. Observamos os famosos cultos da Vitória, Culto da prosperidade financeira, culto da cura, cultos, cultos e mais cultos. E onde você aprendeu na Bíblia que Deus SEMPRE vai te curar de uma enfermidade? Onde você aprendeu que se entregar o dízimo todo mês será próspero? A viúva pobre por acaso possuía muitos bens? Jesus sempre se interessou pelo nosso coração, esse é o verdadeiro interesse do Pai. Um coração quebrantado e cheio de amor por Ele. Hoje o cristão moderno tem uma relação com Deus por interesse. Vai na igreja porque precisa arrumar um emprego novo, vai na igreja porque está doente e precisa de cura, vai na igreja porque está passando por problemas na família, vai na igreja porque se acostumou a ir todo domingo. E o amor genuíno? Você vai a igreja porque ama a Deus? Precisamos aprender mais com a igreja primitiva e com os santos do passado, nos afastamos demais da essência do evangelho e dos ensinamos bíblicos.

Não estamos prontos para o sofrimento, basta uma tempestade para que nossa fé seja abalada (lembra do caso em que Jesus acalma uma tempestade?). Enquanto nossos irmãos do passado eram jogados em arenas cheia de leões famintos para serem devorados e mortos, eram crucificados de cabeça para baixo, eram decapitados por amor a Jesus, nós igreja do século XXI professamos uma fé pífia que muitas das vezes só serve para afastar as pessoas de Cristo. Como estamos distantes desse tipo de fé do passado e como vamos precisar desse tipo de fé para os dias que se aproximam. É claro que nos dias de hoje existem os remanescentes fiéis, aqueles que professam e praticam a mesma fé dos santos do passado, mas infelizmente isso é uma minoria.

4 – Morrer por Cristo

“Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor.” Romanos 14:8

Ao longo da história do cristianismo foram diversos mártires que deram suas vidas por amor a Jesus. Em sua grande maioria os apóstolos tiveram mortes violentas. Daremos alguns exemplos.

Pedro

Pedro era o mais velho dos apóstolos e aquele a quem Jesus claramente lhe deu algum tipo de liderança. Após a morte de Cristo, foi Pedro quem conduziu a missão entre os que ficaram. Seu trabalho missionário perdurou até o dia em que ele foi morto 68 anos depois do nascimento de Cristo. O apóstolo ainda continuou sua missão por mais 35 anos depois que Jesus foi morto. E sua morte se assemelhou a dele na forma como aconteceu. Diz a tradição que ele foi morto crucificado em Roma, porém teria pedido para ficar de cabeça para baixo para não se assemelhar ao seu mestre.

André

André era irmão de Pedro, também pescador. Antes de conhecer a Cristo, ele já era seguidor de João Batista, mas não titubeou quando conheceu o Messias e logo juntou-se a ele. A tradição revela que André também foi muito torturado antes de ir para a cruz na Grécia. Ele estaria em missão na província de Acaia onde foi crucificado.

Só que desta vez por uma cruz em formato de X. Seus restos mortais foram encontrados séculos depois e levado para a Escócia pelo mar, onde o barco teria naufragado. Por isso, até hoje existe uma ilha chamada da Santo André.

João

João era o discípulo mais jovem que Cristo tinha. Cogita-se que na época da crucificação de Jesus, ele teria entre 17 e 20 anos. Irmão de Tiago (outro apóstolo), o jovem teria sido lançado vivo em óleo fervente, mas ele não teria nada sofrido.

Depois disso, ele teve um papel importante para a religião Cristã: escreveu diversos livros considerados sagrados, são deles os relatos sobre o fim do mundo, descritos no Apocalipse. Acredita-se que ele morreu por volta dos 100 anos de idade de causas naturais, em Éfeso.

Mateus

Relatos dão conta de que Mateus teria continuado sua missão no lugar onde viveu com Cristo. O apóstolo teria percorrido toda a Pérsia, Judeia e Etiópia, vindo a ser morto nessa última. A causa de sua morte teria sido em decorrência de um ferimento de espada. Mas também há quem acredita que o ex-cobrador de impostos que foi convocado por Jesus teria falecido de causas naturais. Seu túmulo se encontra em Salerno, cidade italiana.

Existem ainda muitos relatos e escritos que nos mostra como morreram aqueles que continuaram a missão de Jesus. Para concluir esses exemplos, dentre tantos, gostaria de trazer o exemplo de como foram os últimos dias do Apóstolo Paulo. No ano de 64 D.C. o Imperador Nero mandou incendiar um bairro romano para que, ao visualizar a cena, pudesse se inspirar e escrever um poema épico. Mas as coisas sairão erradas e o incêndio destruiu 10 das 14 zonas da cidade. Devido a irresponsabilidade de seus atos, Nero precisava de um bode expiatório e o povo preferido era os cristãos. Não se sabe o porquê Nero creditou o incêndio aos cristãos, mas a crueldade com a qual os cristãos passaram a ser tratados era impressionante.

Muitos foram jogados nas arenas, outros foram utilizados como “tochas humanas” para iluminar o jardim de Nero. Paulo, no entanto, é preso no rio Tibre, perto da ilha Tiberina. Ao contrário do seu primeiro julgamento em Roma no qual ele é absolvido das acusações, neste segundo ele tem direito só a dois interrogatórios, sendo que o primeiro termina sem nenhuma decisão. Paulo não nutria esperanças de ser absolvido neste segundo julgamento (ler 2º Timóteo 4:6 e 7), e estava certo. É condenado a morte!

Devido a sua cidadania romana, ele acaba tendo um tratamento mais “humano” do que Pedro, que morreu crucificado de cabeça pra baixo como já foi dito. Paulo por sua vez, tem sua cabeça separada do corpo por um único golpe de espada.

Essa história é relatada em filme (Paulo, O Apóstolo de Cristo).  Enquanto assiste a um trecho desse filme gostaria que você refletisse como está sua vida cristã diante de Jesus.

Conclusão:

Devemos fazer uma análise do tipo de cristianismo que temos vivido. Ao confrontarmos o que se pratica hoje com a igreja primitiva e os exemplos bíblicos percebemos que existe um verdadeiro abismo entre os cristãos da era moderna e os santos do passado. Peça hoje que o Espírito Santo te mostre aquilo que precisa ser mudado e ajustado. Estamos vivendo tempos difíceis e as coisas tendem a ficar mais complicadas. Precisamos abrir nossos olhos enquanto há tempo e viver a vida no qual Jesus espera de nós.

Deus abençoe ricamente.

 64 total views,  1 views today

elmar_ricardo

Servo do Senhor Jesus que tem a missão de trazer luz e esclarecimentos a todos que queiram entender melhor a palavra de Deus e os sinais do final dos tempos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.